voltar

A pintura também se come (+3 anos)

25 de Outubro, 11:30
Preço_ 20€ (criança + pai) / 15€ (criança)
inscrições: elena_sanmi@hotmail.com

Neste worskhop, bebé e pais embarcam numa exploração sensorial e visual das matérias e das cores, das formas e das misturas. Uma hora de uma muita brincadeira colorida com tintas especiais que se podem comer, tocar, espalhar numa grande folha no chão.

sobre Elena Sanmiguel Urbina

Elena Sanmiguel Urbina (Logroño, 1984), tirou o Bacharelato Artístico e um Curso Superior de Ilustração e Desenho Gráfico na Escola de Artes e Ofícios de Logroño. Preparou o seu ingresso em Belas Artes na Academia do artista Demetrio Navaridas. Continuou a sua formação em Madrid onde estudou Belas Artes na Universidade Complutense. Ganhou uma bolsa de estudos que lhe permitiu terminar os seus estudos na Universidade de Belas Artes de Lisboa. E foi nesta cidade, atraída pela sua calma e luz, que encontrou a inspiração necessária para continuar o seu trabalho artístico.

Expôs individualmente e colectivamente entre Espanha e Portugal. Das suas exposições individuais em Portugal destaca “Querer ficar” (2013), “Retratos” (2014) e “Somos todos a mesma coisa” (2017). Realizou diversos trabalhos de auto-edição e entre eles destaca, em 2018, a Baraja Republicana (Baralho de Cartas Republicano). Actualmente reparte a sua faceta artística entre várias actividades relacionadas com as artes plásticas e visuais.

Durante dois anos, com o apoio da Câmara de Lisboa, lecionou aulas de pintura dirigidas a crianças, e continua a dar aulas individuais no seu atelier a crianças. Assim como workshops com crianças em diferentes espaços. Colabora com a revista francófona “Lisboéte” onde, trimestralmente, ilustra um artigo de cariz histórico.

Em 2019 foi convidada a participar no Festival “Lo Visual” (Espanha) onde apresentou a sua coleção “Retratos”. Trabalhou como assistente de arte do escultor Matthias Contzen para sua última exposição em Paris, “Shapes in silence” (2019). En 2020 ganha o primeiro prêmio no festival de arte urbana CALLE, em Madrid, com sua instalação “Retratos” e foi seleccionada para participar no festival de arte mural Camprovinarte (Espanha) onde pintou “La casa de la Catalina”

O seu trabalho é bastante versátil, caracterizando-se pelo seu traço firme e intuitivo, bem como pelas cores vivas que utiliza. De forma autónoma e dinâmica participa regularmente em Feiras Gráficas e em mercados populares, permitindo-lhe realizar uma das suas grandes paixões, o retrato. Conseguiu uma licença para trabalhar na famosa Feira da Ladra de Lisboa onde, a cada Sábado, retrata as pessoas que ali passam. Considera-se uma retratista urbana e faz desta arte, há alguns anos já, a sua profissão.